Em 2018, coloque paz no seu coração

Em 2018, coloque paz no seu coração

Ano Novo. Que seja de conquistas para cada um de nós e para o Brasil. Afinal, como país, temos muitos motivos para estar otimistas – a economia está dando sinais de retomada, o desemprego está caindo, a inflação permanece baixa, nossa seleção está bem cotada para ganhar a Copa do Mundo na Rússia e em outubro vamos eleger um novo presidente, novos governadores, senadores e deputados. Não é pouca coisa. E para você? Também será um ano transformador se souber cuidar de si mesmo, aprendendo a viver em paz e colocando sentimentos positivos dentro do coração.

Vamos deixar o passado no lugar dele e viver o presente, com um olho no futuro, sempre com muita serenidade. Sabemos o quanto foi difícil e estressante o ano que passou, mas, como diz o ditado, ‘não adianta chorar sobre o leite derramado’. É importante se desfazer desses sentimentos ruins e rancorosos em relação ao que passou e começar de novo, com fé, energia e a disposição de um professor em seu primeiro dia de aula. Estamos precisando disso.

Em seu último livro lançado em português pelo selo IRH Press do Brasil, O Milagre da Meditação, o autor e mestre japonês Ryuho Okawa nos estimula a “treinar nossa mente para poder libertá-la dos pensamentos que provocam desarmonia”. Na obra, ele ensina os segredos da meditação e sua importância para alcançar a paz interior, desde que olhemos nossa vida de uma perspectiva espiritual, “acreditando na existência do divino”.

“Somos aquilo que pensamos”, diz Okawa. É com essa convicção que devemos iniciar 2018, acreditando em nosso potencial de transformação pessoal – inovar nossa própria vida e a realidade que nos cerca. Acredite. Seja diferente. Evite pensamentos negativos. Você e ninguém mais é o autor da história de sua vida e o construtor da própria felicidade. Essa força interior o ajudará a encontrar caminhos alternativos e soluções mesmo nos momentos de dificuldades e perdas. Infelizmente, “a maioria das pessoas segue pela vida sem ter ideia do que ocorre em sua mente e do que ela é capaz de conseguir”.

No corre-corre diário, no trabalho ou junto à família, devemos cultivar “pensamentos de paz interior”. Pessoas que conseguem manter a serenidade do coração têm mais facilidade de manter o equilíbrio diante das exigências do mundo moderno, onde todos nos cobram atenção, eficiência e resultados.

Às vezes, temos a impressão de que nunca conseguimos concluir uma tarefa e de que estamos sempre correndo atrás. Esse permanente estado de insatisfação, quando levado ao extremo, pode nos deixar angustiados, sem paciência, e muitas vezes deprimidos, descontrolados e até violentos. Isso pode acontecer no trabalho, em casa, em um relacionamento amoroso, pode afetar jovens, adultos, até crianças, pais, mães, executivos, gerentes ou funcionários.

Caso você se sinta nessa situação, comece 2018 tentando mudar. É bom alimentar sonhos para o futuro, mas não adianta fazer promessas de correr atrás de conquistas materiais se você não estiver em paz com você mesmo, com você mesma. E tudo pode começar com pequenas atitudes. Por exemplo, “a técnica de respirar calmamente é um método muito eficaz para criar uma energia de pensamento serena”, evitando explosões de raiva e respostas intempestivas diante de agressões e ofensas. Inspirar e expirar de forma ritmada tem um efeito relaxante sobre os músculos do corpo todo, reconduzindo nossa mente a um estado de calma e serenidade.

Essa serenidade, cultivada e renovada todos os dias, transformará sua vida. Com pensamentos e o coração em paz, você se tornará mais paciente, perspicaz e ganhará o respeito de todos como uma pessoa sensata. Um dos caminhos para essa transformação é a meditação. “Ela nos liberta de pensamentos negativos, consegue a elevação de nossa consciência, leva à união com o divino e nos faz vivenciar a felicidade da paz interior”, diz o mestre Okawa.

Pacificar nossa própria vida nos fará ver o mundo com outros olhos e nos deixará mais preparados para grandes conquistas. Tente. Você pode ter um ano muito mais feliz do que imagina.

Photo by Simon Migaj on Unsplash

Do livro O Milagre da Meditação(IRH Press do Brasil), do mestre Ryuho Okawa, fundador da Happy Science – movimento que apresenta a chave da verdadeira felicidade às pessoas de todos os países, raças e crenças, pregando a criação de um mundo de paz através da inovação espiritual, educacional e política.

Férias: tempo de repor as energias

Férias: tempo de repor as energias

É tempo de férias para quase todos os estudantes e boa parte dos trabalhadores. Tempo de parar para um merecido descanso depois do ano conturbado que atravessamos – com problemas pessoais se avolumando em decorrência dos problemas do país. Depois da virada do ano, nossa expectativa de que 2018 ofereça melhores condições para realização de planos e concretização de sonhos é enorme. Essa pausa, por menor que seja, é extremamente importante para repor energias para o corpo e para colocar nossa cabeça e nossa vida em ordem.

Mais do que usufruir de um direito adquirido, tirar férias é fundamental para a construção de uma vida equilibrada e feliz. Mas esse período de férias não deve ser confundido com ociosidade, indolência e moleza. Já diziam nossos pais e avós que ‘cabeça vazia é morada do diabo’. Hoje, já se fala em ócio criativo, no sentido de um trabalho mental diferente do usual ou de uma ocupação suave e agradável. Assim devem ser nossas férias, um tempo de lazer, de descanso, de novos aprendizados.

Mesmo entre os executivos já está ficando para trás aquela ideia de que nunca deveriam parar, de que sua ausência em cadeias de comando poderia comprometer os resultados das empresas. O desligamento temporário, mas total, do dia a dia da empresa leva, no retorno, a um entusiasmo renovado e ao aumento da produtividade. Estão se tornando comuns nos endereços eletrônicos respostas automáticas do tipo: “Estarei de férias até 20 de janeiro e sem verificar as mensagens”.

O grande escritor e líder espiritual japonês Ryuho Okawa tem em “Trabalho e Amor“, um de seus mais de dois mil livros publicados, um capítulo inteiro dedicado ao efeito benéfico que as férias podem ter. “A felicidade humana requer algo mais além de esforço e autoaprimoramento. Há as pequenas felicidades, as alegrias serenas que não têm nada a ver com dinamismo e esforço. É algo que brilha sobre a humanidade há milhares, dezenas de milhares de anos de eterna verdade. As pessoas precisam de um tempo para se recuperar, restaurar as energias, relaxar e renovar-se”.

Okawa faz uma comparação muito apropriada das férias com o comportamento do leão, o rei dos animais. “Quando um leão sai atrás de uma presa, põe todo o seu empenho nessa tarefa. Sabe que não pode se dar ao luxo de falhar e, então, usa cada gota de sua energia para caçar a presa e abatê-la com um poderoso golpe. No entanto, depois de devorá-la, ele deita à sombra de uma árvore, ou ao sol, e tira uma boa soneca, satisfeito. Nessa hora, não importa se uma presa atraente passa por perto; ele não mexerá um músculo, continuará na sua sesta da tarde”. O estilo de vida do leão lembra uma mola, que “não deve ficar totalmente estendida sempre, nem sempre totalmente comprimida”.

O autor prega a ideia de que a vida é uma repetição desse ciclo que oscila entre esforço e relaxamento. “Há certas épocas no decorrer de um ano em que as coisas ficam mais difíceis e você, como uma mola, precisa de um período de lazer para recuperar sua força física e mental, a fim de ser capaz de superar as dificuldades.”

Esses conceitos não se aplicam apenas aos empresários e executivos, aos funcionários de um escritório, aos trabalhadores de uma fábrica, aos estudantes e professores. Devem também, na medida do possível, ser absorvidos pela família como um todo. A parada de final/começo de ano é um tempo precioso para “estar juntos”, para ampliar o diálogo entre marido e mulher, entre pais e filhos, para matar a saudade de amigos – seja por meio de uma viagem ou de um bom passeio de final de semana.

Sendo assim, procure encarar as férias de forma positiva. É um período precioso para ampliar nossa compreensão de que a convivência familiar e o lazer são também fundamentais para a construção de uma vida feliz e sadia. Boas férias!

Photo by Ishan @seefromthesky on Unsplash

Do livro Trabalho e Amor - Como Construir Uma Carreira Brilhante (IRH Press do Brasil), do mestre Ryuho Okawa, fundador da Happy Science – movimento que apresenta a chave da verdadeira felicidade às pessoas de todos os países, raças e crenças, pregando a criação de um mundo de paz através da inovação espiritual, educacional e política.

Bons sentimentos podem transformar o mundo

Bons sentimentos podem transformar o mundo

Vivemos dias conturbados, de muita correria, sempre às voltas com problemas pessoais e familiares. A vida moderna é marcada pela competitividade. As maravilhas das novas tecnologias a um só tempo atraem e assustam. O mundo do trabalho exige empenho e atualização constante. Desde crianças somos empurrados ao consumismo, a buscar o sucesso e o bem-estar material a qualquer custo. Neste ambiente, esquecemos muitas vezes de que somos seres humanos, esquecemos de construir nossa felicidade com base em valores perenes.

Pergunto: Você se considera uma pessoa feliz? Você sabe lidar com as carências do seu coração, com as dores da alma, com o sofrimento físico e as doenças? Rico ou pobre, empregado ou desempregado, pai ou filho, jovem ou idoso, você consegue encarar os “vazios” que vez ou outra atravessam o caminho e engolem nossas forças?

É muito normal sentir vazios e carências. Anormal é não buscar sair deles. O sofrimento faz parte da nossa longa e árdua caminhada. Para não ficar pelo caminho, é necessário cuidar de nossos corações, de nossas almas, das nossas relações de amor com Deus. Nesta caminhada, devemos fazer tudo para vencer como seres humanos e como filhos de Deus. Do equilíbrio de nossa mente, do andar pelo caminho correto, depende nossa felicidade.

Precisamos cultivar bons sentimentos, amar quem caminha conosco, ajudar os outros a serem felizes – na família, no trabalho, na escola, na comunidade. Cultivar bons sentimentos significa distribuir amor, esperança, carinho, confiança, significa cuidar da plena realização dos que nos cercam. Assim é com o bom pai, a boa mãe, o bom filho, o bom aluno, o bom chefe, o bom empresário, o bom médico, o bom professor, o bom atendente, o bom governante. Assim é com todos, em todas as situações.

Uma corrente de bons sentimentos pode transformar o mundo, evitar injustiças, destruir egoísmos, irradiar esperança. Que os especialistas da ONU se empenhem a fundo na salvação do planeta, que os governantes europeus olhem com mais carinho para as levas de refugiados sírios e de outros países, que os líderes religiosos consigam reconduzir a humanidade para um tempo de paz. Que os filhos nunca deixem de respeitar os pais. Que os pais sejam pacientes e deem o bom exemplo para manter os filhos no caminho correto.

O mestre Ryuho Okawa, em suas reflexões, distribuídas nos mais de 1.900 livros que já escreveu, diz que algumas pessoas não percebem o quanto é importante ser bom. “Quando você se dá conta de toda a dor e sofrimento que há no mundo, quando vê todos os espinhos que ferem as pessoas, é muito natural que sinta o impulso de acabar com toda essa dor. Sentir a dor e a tristeza dos outros e derramar lágrimas por eles é ter grande compaixão, piedade. E pessoas que não sentem mais piedade pelas outras, se tornam egoístas” (Mensagens do Céu). Ou seja, quem não se compadece pela dor do outro, perde a capacidade de cultivar bons sentimentos.

Nesta mesma linha de raciocínio, e reforçando a importância de alimentar o espírito para alcançar a verdadeira felicidade, deixo o alerta de Ryuho Okawa para os que se preocupam mais com a beleza do corpo do que com a beleza do coração:

“Não se preocupe demais com a aparência física. Não se atormente achando que é alto ou baixo demais, muito gordo ou muito magro, bonito ou feio. Evite aquela obsessão com a aparência exterior que faz algumas pessoas falarem disso o dia inteiro. Só um ignorante se incomoda com essas questões. O corpo é apenas um veículo para a alma. Coloque o foco na sua mente. O que está se passando nela? Se sua mente está cheia de pensamentos incorretos, isso sim deve preocupá-lo mais do que a aparência física. Dê importância ao fato de seu coração ser puro e belo. Seu coração irá se manifestar em sua aparência física. Se sua mente é bonita, essa beleza se refletirá nos seus olhos. Se sua mente é impura, seus olhos ficarão sombrios. O nariz de uma pessoa arrogante acaba realmente parecendo empinado e pontudo demais. A boca de uma pessoa cuja mente é má parecerá torta. Os lábios de quem sempre faz comentários sarcásticos e vive criticando os outros parecerão franzidos e retorcidos. Se a mente da pessoa é perturbada, isso se revela na atitude dela. Pessoas com um coração meigo e calmo nunca provocam desconforto a quem está por perto. Meu amado, antes de melhorar seu corpo, procure deixar sua mente em ordem. Antes de embelezar o corpo, embeleze seu coração. Seja gentil todos os dias. Não se irrite nem fique com raiva. Não fale mal dos outros. Não reclame. Grave estas palavras em seu coração.”

Photo by Elaine Casap on Unsplash

Do livro Mensagens do Céu (IRH Press do Brasil), do mestre Ryuho Okawa, fundador da Happy Science – movimento que apresenta a chave da verdadeira felicidade às pessoas de todos os países, raças e crenças, pregando a criação de um mundo de paz através da inovação espiritual, educacional e política.

Dezembro é tempo de festa e de pensar na vida

Dezembro é tempo de festa e de pensar na vida

De modo muito simples, podemos dizer que as empresas, ao fazerem o balanço do ano, procuram mostrar a seus acionistas ou proprietários se houve equilíbrio entre receitas e despesas e se houve lucro. Em meio às festas de final de ano – um período precioso de descanso, reflexão e convivência mais intensa em família -, devemos reservar algum tempo para pensar na vida e fazer um balanço do quanto conseguimos avançar em nossos projetos e na realização de nossos sonhos – o que fiz, onde acertei, onde errei, o que conquistei, o que preciso mudar. Também é hora de olhar com mais atenção para as pessoas que nos cercam, de nos preocupar mais com os outros, renovando relacionamentos, reconstruindo sonhos.

Em um de seus muitos best sellers, Think Big, Pense Grande, o autor japonês Ryuho Okawa recomenda que cada um dê uma boa olhada em si mesmo. “Para que nasci? O que vim fazer nesta vida? Olhe seus dons, sua personalidade, suas qualidades. Relembre o que fez e como viveu os anos que se passaram até o presente momento. A partir daí poderá descobrir a missão e vocação que se encontra nas profundezas de seu coração”, colocando-as a serviço da família, da comunidade, do país.

“É muito difícil tentar dedicar a vida ao trabalho se você não sabe qual é sua vocação divina” diz Okawa em Trabalho e Amor, recém-lançado no Brasil. “Se um indivíduo sente o desejo de fazer um trabalho que beneficie o mundo, então não pode se dar ao luxo de ignorar as necessidades e exigências dos outros. O desejo de satisfazer os outros, o espírito de servir ao próximo são forças importantes que irão imbuir seu trabalho com a energia do amor. O amor pode ser encontrado na atenção aos detalhes e também na sabedoria de não perder de vista as necessidades dos outros.”

Nosso balanço de vida deve começar pela família, onde nasce e se alimenta a verdadeira felicidade. Primeiramente, precisamos avaliar como estamos nos relacionando com as pessoas mais próximas de nós. Se estamos num casamento ou num relacionamento sério, é fundamental checar o que cada um está fazendo para solidificar esse amor. Há comportamentos que deveriam ser banidos, por estarem manchando e enfraquecendo a relação de fidelidade entre os dois. Quando há filhos, daí a responsabilidade com que se deve fazer esse balanço é ainda maior. Nossa missão como pais está sendo cumprida? Há acompanhamento, diálogo, convivência? No papel de filhos, também é importante avaliar como estamos nos relacionando com nossos pais. Nesta época de aceleradas mudanças, são mais frequentes os desentendimentos e mais difícil a convivência entre gerações. Por isso, é fundamental sermos mais compreensivos e tolerantes, sempre abertos ao diálogo. Dezembro é um mês muito oportuno para refletir sobre a dimensão do amor em nossa família. É hora de regar essa flor com gestos de carinho e, se for o caso, com pedidos de perdão. Nunca é tarde para recomeçar.

Por conta dos vestibulares, também é um bom momento para muitos jovens avaliarem como anda evoluindo sua formação, como foi a dedicação aos estudos durante o ano. É importante ter a consciência de que, além de buscar a formação acadêmica e profissional para o trabalho, é preciso se dedicar à construção do próprio caráter, necessário à realização da vocação divina que carregamos. Bons livros devem ser companheiros permanentes nessa caminhada. “Quanto mais a compreensão da pessoa se aprofunda, mais ela tem o desejo de aprender”, diz Ryuho Okawa, incentivando os jovens a desenvolverem todo o seu potencial humano. “Os jovens possuem muitas qualidades louváveis, mas penso que, de todas elas, a melhor é sua capacidade de idealizar. Essa capacidade permite ver as coisas de maneira mais positiva e faz com que a pessoa defina suas metas com possibilidades infinitas. Quando um jovem é incapaz de nutrir ideias, então podemos dizer que é uma pessoa velha, enquanto uma pessoa de 40, 50, ou mesmo 60 ou 70 anos, cujo espírito é ainda fresco e não perdeu seus ideais, pode ser considerada alguém que ainda tem a juventude nas mãos”, diz o autor em Trabalho e Amor.

Que neste final de ano, nos empenhemos em refletir como anda nossa vida e sobre o que é preciso mudar, seja na família, nas relações pessoais, na escola ou no trabalho. Que o espírito do Natal aqueça nossos corações e renove nossas esperanças. Se não aproveitarmos nossa capacidade de criar ideais, esses ideais irão murchando dentro de nós. Boas festas!

Photo by Tachina Lee on Unsplash

Do livro THINK BIG – O poder para criar o seu futuro (IRH Press do Brasil), do mestre Ryuho Okawa, fundador da Happy Science – movimento que apresenta a chave da verdadeira felicidade às pessoas de todos os países, raças e crenças, pregando a criação de um mundo de paz através da inovação espiritual, educacional e política.

Do livro Trabalho e Amor - Como Construir Uma Carreira Brilhante (IRH Press do Brasil), do mestre Ryuho Okawa, fundador da Happy Science – movimento que apresenta a chave da verdadeira felicidade às pessoas de todos os países, raças e crenças, pregando a criação de um mundo de paz através da inovação espiritual, educacional e política.

A mentira corrói os valores da sociedade

A mentira corrói os valores da sociedade

Há a Verdade que é Deus e a verdade que é uma das grandes virtudes do ser humano, construída pela integridade, retidão e transparência na convivência de cada um com as pessoas que o cercam. Vivemos uma época de mentiras e falsidades e enfrentamos sério risco de termos toda uma geração marcada por essa falta de transparência nos relacionamentos humanos. Escondida nos mais diversos interesses políticos, econômicos e ideológicos de nosso tempo, a mentira vai corroendo os valores da sociedade, como uma mancha de poluição que rouba a pureza de um rio ou a beleza de uma paisagem.

A mentira é um câncer que está contaminando todas as áreas, tanto na esfera pública como privada e não apenas em nosso país. Basta olhar como está avançando a desconfiança entre as nações e em relação ao comportamento de muitos governantes. Está cada vez mais difícil para nossos jovens e nossas crianças acreditar nas boas intenções dos que deveriam dar o exemplo de retidão em todas as decisões. Os interesses de muitas nações e de seus povos estão sendo substituídos por ambições pessoais ou de alguns grupos, gerando guerras, destruição, pobreza, desemprego, fome e ondas de refugiados.

“Não haveria nenhum conflito se todos tivessem melhor compreensão das religiões mundiais e das Verdades de Deus”, diz o autor e líder espiritual japonês Ryuho Okawa em Mensagens do Céu. Em outro de seus livros, As Leis da Missão – Desperte agora para as verdades espirituais, Okawa diz que “o mundo que você acha ser o verdadeiro, não é o verdadeiro. E o mundo do qual você ouviu falar apenas nos contos, lendas e nas religiões, que você acredita ser uma miragem é, na realidade, o verdadeiro mundo”.

No plano humano, percebe-se que a ausência da verdade invade os relacionamentos, não apenas as esferas políticas. É comum ver muitas pessoas deixarem de olhar no rosto umas das outras durante uma conversa – entre marido e mulher, entre irmãos, entre amigos e até entre namorados. É como se cada um, mergulhado em seu universo particular, estivesse com medo de entregar sua verdade ao outro. É pelo olhar sincero que duas almas se comunicam. É no olhar, no ouvir mais do que no falar, que conseguimos absorver todas as angústias dos que nos procuram.

A mesma verdade que esperamos de nossos governantes e políticos deve ser cultivada em cada situação de nossas vidas, pelos pais ao falarem com os filhos, pelos filhos ao conversarem com os pais, pelo empresário ou executivo ao explicar suas estratégias e sua política salarial aos funcionários, pelos sindicatos em suas reivindicações aos patrões, pelo vendedor que tenta comercializar seus produtos a um cliente exigente, pelo estudante que inventa uma desculpa por não ter entregado um trabalho ou estudado para uma prova, pelo professor que às vezes é tentado a manipular explicações sobre determinados fatos. Todos falam que querem a verdade, mas, muitas vezes, preferem se enganar com a mentira. Uma sociedade comprometida com a verdade e com a transparência terá mais justiça social e será mais feliz e sadia. A tentação de mentir deve ser combatida com determinação, embora ela sempre tenha estado presente ao longo da história.

Photo by Amanda Dalbjörn on Unsplash

Do livro Mensagens do Céu (IRH Press do Brasil), do mestre Ryuho Okawa, fundador da Happy Science – movimento que apresenta a chave da verdadeira felicidade às pessoas de todos os países, raças e crenças, pregando a criação de um mundo de paz através da inovação espiritual, educacional e política.

Do livro As Leis da Missão - Desperte Agora para as Verdades Espirituais (IRH Press do Brasil), do mestre Ryuho Okawa, fundador da Happy Science – movimento que apresenta a chave da verdadeira felicidade às pessoas de todos os países, raças e crenças, pregando a criação de um mundo de paz através da inovação espiritual, educacional e política.

A felicidade brota do ato de perdoar e servir

A felicidade brota do ato de perdoar e servir

Há duas grandes vertentes que podem tornar nossa vida mais feliz – uma jorra no plano material; outra, no plano espiritual, nasce dentro do nosso ser, na dimensão infinita de nossas almas e de nossos corações. É a felicidade que brota do ato de perdoar e servir. A primeira vertente é composta de bens finitos, que duram enquanto durar nossa caminhada neste mundo; a segunda nos transporta para um patamar de realização que a primeira jamais conseguirá nos proporcionar.

Mesmo assim, a realização no plano material não pode ser descartada, apenas deve ser canalizada para que seu potencial abra caminho para voos mais altos. Nesse plano, junto aos anseios de felicidade, não podemos ignorar que o sofrimento, os desafios, as lutas, as doenças, as privações, as depressões e as carências materiais são inerentes à nossa condição de seres humanos, mas com a consciência de que fomos feitos para a felicidade, tanto nesta vida como na eternidade.

É natural que busquemos a felicidade em coisas materiais – numa boa educação e formação, em um emprego bem remunerado, em uma casa nova, num carro do ano, em uma viagem dos sonhos, em um celular ou computador de última geração. São ambições justas que, sem a marca do consumismo que ameaça esgotar os recursos naturais, alimentam a indústria e o comércio que garantem o desenvolvimento da comunidade, do país e do mundo.

Em um degrau acima, está a felicidade que cada um de nós tenta conquistar por meio de seus relacionamentos, seja em família, entre namorados, no trabalho, na escola, na universidade e, em especial, nas diversas comunidades religiosas que, pela fé, indicam caminhos a seguir. É nesses relacionamentos que cada pessoa, dependendo de seu caráter e dedicação, pode descobrir a dimensão maior da felicidade que brota de um ato de perdão e de serviço ao próximo.

“Ama teu próximo como a ti mesmo” e “Eu vim para servir, não para ser servido” foram, talvez, as duas frases mais importantes proferidas por Jesus Cristo há mais de dois mil anos. Marcaram o crescimento do mundo cristão e, apesar dos muitos erros cometidos ao longo da história, embasaram sua permanente preocupação com a construção de um mundo mais justo, onde todos tenham as mesmas oportunidades e direitos.

“A vida é uma sequência contínua de batalhas”, afirma o mestre Ryuho Okawa em “As Leis da Invencibilidade – Como desenvolver uma mente estratégica e gerencial” (IRH Press do Brasil). “Todas as decisões ou ações resultam em vitórias ou derrotas. A vida tem felicidades e infelicidades. As organizações e sociedades passam por fases boas e más. As nações enfrentam constantes mudanças, altos e baixos, períodos felizes e infelizes. De certo modo, são essas as batalhas da vida. As decisões cruciais que tomamos e as ações que empreendemos nos momentos decisivos têm desfechos que determinam nossa felicidade ou infelicidade”, diz mestre Okawa.

E quais seriam esses momentos decisivos? Podem estar nos vários patamares do que seja uma vida feliz, mas, acima de tudo, estão no perdoar e no servir, na dimensão espiritual de nossas vidas. Se você ainda não experimentou, tente viver a experiência do perdão. Abrace o filho que o magoou. Peça desculpas por ofensas feitas no calor de uma discussão. Converse com o chefe de departamento que o ofendeu e não valorizou seu talento. Dê um beijo no namorado que traiu suas expectativas. O ser humano renasce quando, de forma incondicional, perdoa e pede perdão. E experimenta uma felicidade indescritível quando decide colocar sua vida a serviço dos outros.

Sinta o prazer de, com amor, levar um idoso de seu prédio ao médico ou um vizinho ao pronto-socorro; de ajudar o cego a atravessar a rua; de empurrar a cadeira de rodas de um portador de necessidades especiais por uma calçada esburacada; de “perder” duas horas dando atenção a um jovem angustiado e mergulhado em problemas; ou simplesmente de sorrir e dizer um obrigado ao porteiro, ao ascensorista, à faxineira, ao motorista do ônibus e para todos que encontrar.

É óbvio que não podemos esquecer de outras ações e compromissos exigidos pela vida em comunidade, na família e no trabalho. Mas são as pequenas ações, emolduradas em amor, que nos tornam fortes e alimentam nossa alma. Estejamos conscientes de que todo o esforço e, por vezes, sofrimentos exigidos no serviço ao próximo valem a pena. São alívio e satisfação profunda. Sofrer sem utilidade, sem a dimensão espiritual do servir, é duplo sofrimento, que gera desilusão e muitas vezes depressão. Experimente o quanto o perdão e a dedicação ao bem dos outros são fontes de perene felicidade.

Photo by Priscilla Du Preez on Unsplash

Do livro As Leis da Invencibilidade - Como Desenvolver uma Mente Estratégica e Gerencial (IRH Press do Brasil), do mestre Ryuho Okawa, fundador da Happy Science – Seus mais de 2.200 livros publicados, traduzidos para 28 idiomas, já venderam mais de 100 milhões de exemplares no mundo todo.

Pin It on Pinterest